IMG_0561.JPG

Santar

 

 

Nobre vila situada na região de Dão-Lafões, possuidora de elevada qualidade arquitetónica e paisagística, envolvidas por grandes áreas de quintas e jardins, onde a actividade vitivinícola define e molda o quotidiano das populações.

Diogo Soares de Albergaria, a quem foram doadas as terras de Santar,  foi o grande impulsionador do seu desenvolvimento, no reinado de D. João I (XIV)

Vila desde 21 de março de 1928 e, considerada uma das mais nobres e belas do distrito de Viseu, designada no auge de desenvolvimento e importância por ” Cortes da Beira”, segundo referência de Júlio Gil em “As mais Belas Aldeias de Portugal”.

Vários vestígios arqueológicos de ocupação Romana e registos de ocupação de inícios da Idade Média podem ser visitados.

Paisagem 1.png
Quinta .jpg
Paisagem 3.png
santar2.jpg

 

Santar conserva até hoje as suas raízes ancestrais nas ruas do casario granítico e no conjunto urbano de traça senhorial e brasonada, fruto da pujança vitivinícola que sempre caracterizou a Vila.

 

Destaque o Solar dos Condes de Santar, que data dos séculos XVII e XVIII, a Casa das Fidalgas, o Paço dos Cunhas, o Solar a Capela de N. Srª. da Piedade, a Igreja Matriz de Santar, cuja construção o século X, a Igreja da Misericórdia de Santar. Existem ainda inúmeros fontanários, alminhas e cruzeiros no espaço geográfico pela freguesia.

As Quintas proporcionam inolvidáveis degustações do seu portefólio de vinhos únicos do Dão e convidam a desfrutar de enquadramento  arrebatador do vale do rio Dão e Serras circundantes.

paisagem 6.png

O por de sol sobre as vinhas é irrepetível

qm2.jpg
FT 10.png